Cultura
16.10.19

ESTÃO ABERTAS AS CANDIDATURAS PARA O CURSO DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL E FONTES DE FINANCIAMENTO

  • podem concorrer cidadãos de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, moçambique, são Tomé e Príncipe e Timor-leste
  • As inscrições estão abertas até 24 de Outubro em Angola e 2 de Novembro em Moçambique – Países onde já está marcada a primeira edição do curso (Angola de 4 a 20 de Novembro, na Villa de la Cooperación Española em Morro Bento, Rua da Total, em Luanda; e Moçambique de 2 a 18 de Dezembro, na AECID, Oficina Técnica de Cooperación (OTC), Avenida Eduardo Mondlane, 677 Caixa Postal, 1331 – Maputo).

 

Estão abertas as candidaturas para o Curso de Empreendedorismo Cultural e Fontes de Financiamento para os sectores culturais. Um programa de formação que pretende formar líderes de desenvolvimento dos sectores culturais nos PALOP e em Timor-Leste e identificar boas práticas e soluções de inovação para a economia criativa e cultural.

Podem concorrer cidadãos nacionais de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, residentes num destes países, líderes de desenvolvimento dos sectores culturais, que tenham atividade relevante de criação artística ou como empresários ou que exerçam funções técnicas relevantes em instituições com atividade nos sectores da cultura, sejam públicas ou privadas.

O curso será implementado pela Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID), em parceria com o Camões, IP, no âmbito do PROCULTURA.

O programa terá uma duração máxima de três semanas, com uma primeira edição a partir de novembro de 2019, a realizar em datas variáveis em cada um dos seis países PALOP-TL.

Em Angola, a primeira edição realiza-se de 4 a 20 de Novembro, na Villa de la Cooperación Española em Morro Bento, Rua da Total, em Luanda.

Em Moçambique, a primeira edição realiza-se de 2 a 18 de Dezembro, na AECID, Oficina Técnica de Cooperación (OTC), Avenida Eduardo Mondlane, 677 Caixa Postal, 1331 – Maputo.

O prazo para inscrições decorre até 24 de Outubro, no caso de Angola e 2 de Novembro, no caso de Moçambique.

Muito importante: as inscrições são feitas através de envio de e-mail para o endereço procultura.moz@gmail.com colocando no título “Inscrição Curso Empreendedorismo Cultural”. Os cidadãos interessados poderão consultar o regulamento e os requisitos de candidatura no site do Camões I.P., em: https://www.instituto-camoes.pt/sobre/comunicacao/noticias/projeto-palop-tl-procultura-investe-na-formacao-de-empreendedores-nos-palop-e-timor-leste, ou do programa PALOP –TL,  em https://paloptl.eu.

Esta é uma iniciativa enquadrada na Ação 1.5 de Formação de Líderes de desenvolvimento dos sectores da cultura (da tutela pública, de organizações da sociedade civil e empresários para acesso aos instrumentos de financiamento disponíveis incluindo os desta ação para promover a inovação da economia cultural e criativa.

Esta iniciativa é promovida no âmbito do PROCULTURA, uma Ação financiada pela União Europeia no âmbito do Programa Indicativo Multianual PALOP-TL UE para 2014-20, cofinanciada e gerida pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, IP e cofinanciado também pela Fundação Calouste Gulbenkian. Tem por objetivo contribuir para a criação de emprego em atividades geradoras de rendimento na economia cultural e criativa nos PALOP e em Timor-Leste, entre 2019 e 2023, com orçamento de 19 milhões de euros.

Esta ação é enquadrada pelos princípios do Consenso Europeu em matéria de desenvolvimento (O Nosso Mundo, a Nossa Dignidade, o Nosso Futuro), nomeadamente, pelo reconhecimento de que a cultura favorece «a inclusão social, a liberdade de expressão, a formação da identidade, o empoderamento civil e a prevenção de conflitos» e pela intenção da União Europeia e dos seus Estados membros de fomentar a economia e as políticas culturais quando estas contribuam para alcançar o desenvolvimento sustentável; é enquadrada também pelos princípios da Aliança África – Europa para Investimentos e Empregos Sustentáveis, que incluem investir nas pessoas através da educação e formação de competências, explorar o potencial da integração económica e do comércio entre as duas regiões para a criação de emprego e de rendimento.